segunda-feira, setembro 08, 2008

# A VIDA #




“Quando se sofreu muito na vida, cada nova dor é simultaneamente insuportável e insignificante. A minha vida é como um memento mori da morte da arte europeia: há sempre uma caveira arreganhada ao meu lado para me lembrar da insensatez da ambição humana.Faço troça dessa caveira . Olho para ela e digo:”Escolheste o tipo errado.Podes não acreditar na vida , mas eu não acredito na morte.Vai-te embora!”A caveira solta uma casquinada e aproxima-se mais, mas isso não me surpreende.A razão porque a morte se mantém tão perto da vida não é a necessidade biológica - é a inveja. A vida é tão bela que a morte se apaixonou por ela , um amor ciumento, possessivo, que agarra aquilo que pode.Mas a vida salta agilmente por cima da morte, perdendo apenas uma ou duas coisas sem importância, e o desânimo é a sombra passageira de uma nuvem.”

Yann Martel
A Vida de Pi

4 comentários:

violeta13 disse...

marvellous!

um beijo (que é também um sopro de vida)

sandra disse...

Olá Paulo!! Parabéns pelo teu trabalho, tenho-o seguido pelo jornal e pelo blog.
Um beijo
Sandra Costa (esap)
costasandra@hotmail.com

Carla de Elsinore disse...

hip,hip

super beijo(e obrigada)

rafi disse...

a morte faz apenas parte da vida. quando se morre,tudo à nossa volta permanece vivo, logo a vida é eterna. não interessa focar a morte como angústia, mas como um até já. é algo que faz parte da vida, apenas isso. na vida de pi-esse livro é bonito-, a história é uma, a nós cabe escolher como a vamos olhar. desafio-te a levares uma vida boa pp, cheia de experiências e a fazeres coisas lindas como até aqui.beijos, rafi