segunda-feira, setembro 26, 2011

# No Festival Manobras #

video

Estas fotografias de Paulo Pimenta desenterram a cidade invisível.
A força de cada imagem nos seus objectos e paisagens tem sempre a presença de alguém. Quem são este homens e mulheres que habitam o Porto “sem abrigo”? Quem é o Porto “com abrigo” que foge e evita estas “figuras” como se fossem corpos transparentes?
Medo de nos revelarmos, de nos confrontarmos com os nossos pedaços sem abrigo.
E a vida aparentemente continua...
Hugo Cruz

Conversas Sem Abrigo1 de Outubro, sábado,16hLocal: Auditório dos Mercadores
Rua dos Mercadores, nº 140, Porto (última rua à esquerda, antes do túnel que dá acesso à Ponte D. Luis, na Ribeira)
Entrada livre, lotação limitada ao espaço


ConvidadosAdrian Jackson – CardBoard Citizens, England
Paula França – Rede Interinstitucional de Apoio aos Sem-Abrigo do Porto
Jorge Prendas – Casa da Música
Paulo Pimenta – Projecto Fotográfico “Enquanto estamos acordados”
Jaime Mota – Participante Projectos “Liga para a Inclusão Social”
Mário Figueiredo – Liga para a Inclusão Social
Dinamização da Conversa | Hugo Cruz – PELE

2 comentários:

André Rodrigues disse...

Paulo, grande ensaio e indagação - "Será que sonham".

Nas ruas, vielas e praças, gente faz do chão sua cama, da grama seu tapete, e de qualquer canto entre paredes um abrigo. Nosso olhar, transformado pela frieza do sistema, não se comove. Somos alheios ao sofrimento que não nos atinge. Por isso, seu ensaio é pertinente. Pois, quando falamos de fotojornalismo e/ou fotografia, ela (a foto) tem o poder de ir além e desconsiderar posições políticas ou sociais ou mesmo meritocracias - no sentido pejorativo do termo. E sim, mostrar algo além, um pouco mais fundo. Tão mais profundo que absorve sentimentos e dores. Parabéns, a frieza do jornalismo diário, não feriu seu olhar!!!!

Lígia disse...

mas sem dúvida que fere o nosso... Parabéns Paulo, mais uma vez.